Chegou a hora de redistribuir o bolo da riqueza na América Latina, alerta sociedade civil

27/07/2023, às 11:55 (atualizado em 06/11/2023, às 17:12) | Tempo estimado de leitura: 4 min
Reunidas por ocasião da cúpula ministerial fiscal da região, organizações sociais protestam em Cartagena das Índias por políticas tributárias inclusivas, sustentáveis e equitativas
Protesto por justiça fiscal no centro histórico de Cartagena

Ministros da Economia e representantes de governos de pelo menos 15 países da América Latina e Caribe, representando 90% da população da região, estão reunidos em Cartagena, na Colômbia, nos dias 27 e 28 de julho na Primeira Reunião Ministerial para uma “Tributação Global Inclusiva, Sustentável e Equitativa”.

A reunião tem como coanfitriões a Colômbia, Chile e Brasil, que convidaram toda a região para se juntar à articulação e definir conjuntamente um futuro tributário mais justo. As delegações de Colômbia e Chile serão lideradas pelos seus respectivos ministros da Fazenda, Ricardo Bonilla e Mario Marcel. O Brasil será representado por Guilherme Mello, secretário de Política Econômica do Ministério da Fazenda brasileiro.

Nathalie Beghin, do nosso colegiado de gestão, e Livi Gerbase, nossa assessora política, participam do evento. Elas explicam que os sistemas tributários dos países da América Latina são um dos principais culpados pela assombrosa desigualdade na região. “O caráter regressivo das normas favorecem os mais ricos. Solucionar esta questão envolve reformar os sistemas tributários, e garantir mecanismos de participação social nas tomadas de decisão”, defendem.

Manifestação

“Pacto fiscal já!”. No dia 26/7,  véspera do início da cúpula ministerial, representantes de mais de 50 entidades da sociedade civil da América Latina e Caribe fizeram um ato público no centro histórico de Cartagena, com uma instalação na frente da emblemática Torre del Reloj. As (os) ativistas exigiam de seus governantes “redistribuir o bolo da riqueza”, já que os “10% mais ricos acumulam 77% de toda a riqueza da região”.

Recomendações da sociedade civil

As organizações também produziram um manifesto a ser entregue aos ministros com recomendações para as reformas tributárias em curso na região, a saber:

  1. Incorporar o cumprimento dos direitos humanos e das obrigações ambientais como princípios gerais para orientar e informar a tomada de decisões tributárias;
  2. Promover a progressividade e a equidade nos sistemas tributários da região;
  3. Promover reformas na tributação das empresas, especialmente das empresas multinacionais, que considerem e protejam os interesses da região;
  4. Adotar medidas para aumentar a transparência fiscal;
  5. Promover impostos que visem a proteção do meio ambiente, especialmente no que diz respeito à transição energética e à resposta à crise climática;
  6. Rever os benefícios fiscais com critérios de transparência e equidade, eliminando privilégios e dando prioridade aos benefícios que geram crescimento inclusivo, desenvolvimento sustentável e justiça social;
  7. Promover uma governança fiscal global verdadeiramente inclusiva que respeite a soberania nacional;
  8. Integrar a dimensão de gênero na política tributária;
  9. Descolonizar as normas internacionais de tributação e transparência;
  10. Assegurar a participação efetiva da sociedade civil na nova Plataforma.

Sobre este último ponto, Nathalie Beghin escreveu em artigo para o site Nexo, sobre os mecanismos formais de participação social – importantes para trazer à reflexão as vozes e demandas das pessoas mais afetadas por sistemas tributários injustos.

>>> Conheça a íntegra do manifesto em português e apoie a iniciativa.

Categoria: Notícia
Compartilhe

Conteúdo relacionado

  • Gastos com educação nos estados e no DF (2...
    Neste estudo, o Inesc analisa os gastos com…
    leia mais
  • Subsídios às fontes fósseis e renováveis (...
    O Inesc monitora os subsídios federais aos combustíveis…
    leia mais
  • Subsídios aos combustíveis fósseis crescem...
    A sexta edição do estudo sobre os subsídios…
    leia mais
  • Cartilha Vivências em Orçamento e Direitos...
    Esta cartilha nasce com objetivo de que o…
    leia mais
  • Foto: Inesc | Thays Puzzi
    Inesc reforça necessidade de ampliar orçam...
    Análise feita pelo Inesc (Instituto de Estudos Socioeconômicos)…
    leia mais

Cadastre-se e
fique por dentro
das novidades!